16/03/2018

Gestão tributária para farmácias: como reduzir impostos?

O QUE É GESTÃO TRIBUTÁRIA PARA FARMÁCIAS? PARA QUE EU PRECISO DELA?

Muitos empresários, principalmente os de pequeno porte, cometem o grave erro de achar que não precisam de gestão tributária para farmácias. Esse erro, no entanto, acontece muitas vezes por não entender o que é de fato este serviço.

A gestão tributária, que faz parte do modelo ideal de contabilidade para farmácias, não significa simplesmente “fazer contas”: envolve desde o planejamento tributário, passando pelo sistema operacional, até o controle tributário e apuração dos tributos.

A gestão tributária para farmácias é imprescindível por alguns motivos. O mais impactante deles é que mais de 90% desses estabelecimentos pagam impostos a mais do que deveriam em diversos setores.

Esse pagamento a maior tem explicação. Na maioria dos casos, nas farmácias que estão incluídas no ICMS/Substituição Tributária e PIS/COFINS Monofásico (caso das que optam pelo Simples Nacional), o setor da indústria recolhe os impostos condizentes na saída do produto.

Se o imposto já foi pago, ele não deveria ser cobrado do varejo e seus distribuidores, mas é isso o que acontece na absoluta maioria dos casos. No entanto, é a partir de uma boa gestão tributária que é possível recuperar esses impostos de até 5 anos anteriores e cuidar para que sua farmácia não pague a mais já na saída do produto.

Outro motivo difícil de ignorar é a crise sócio-econômica que o Brasil vem sofrendo desde 2016 e que afetou muito o hábito de compras nas farmácias do brasileiro. O ticket médio baixou e o dono de farmácia precisou lidar com uma outra realidade, ajustando e otimizando seus custos para ter um lucro digno de seu trabalho no final do mês.

O planejamento tributário estratégico pode ajudar o dono de farmácia a criar soluções tributárias visando ampliar seus lucros e diminuir seus tributos de forma legal. O valor que pode ser ressarcido com essa economia é proporcional ao faturamento da farmácia e é muito significativo na hora de fechar as contas.

Também devemos lembrar que a gestão tributária, dentro do planejamento tributário, é indispensável na hora de aconselhar as melhores estratégias e tomar decisões que beneficiem o dono de farmácia na hora de pagar impostos.

 

Clique na imagem para baixar o ebook e saiba como recuperar impostos pagos a mais legalmente e sem enfrentar batalhas judiciais

QUE IMPOSTOS ESTOU PAGANDO A MAIS?

Uma farmácia paga muitos impostos ao Governo. Os tributos federais envolvidos são o IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica), a CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), o Cofins (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social), o PIS (Contribuição ao Programa da Integração Social), o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), a Previdência Social Taxa da Anvisa, a Taxa de Licença de Funcionamento da Anvisa e o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

Há ainda o ICMS que é no âmbito estadual e os tributos municipais (IPTU, TLIF, ISS, Taxa de Lixo, Taxa de Iluminação Pública, Alvará Municipal) e outros impostos, taxas e contribuições cobradas ao dono de farmácia.

Com tanto imposto, como saber se estou pagando realmente o que deveria?

Quando sabe que está pagando impostos a mais, muitos donos de farmácia pensam que esses tributos não vão afetar tanto assim no seu bolso e que não vale a pena ter uma gestão tributária para farmácias, mas isso não é verdade. Esses impostos podem sim afetar seus lucros e recuperar os impostos de anos anteriores é muito mais fácil quando se tem um acompanhamento especializado.

Em grande parte dos casos, há pagamentos indevidos na própria folha de pagamento. Aviso prévio indenizado, impostos cobrados relativos a 1/3 das férias, licenças médicas e rescisão trabalhista são algumas recuperações possíveis ainda na folha de pagamento e que podem ser efetuadas por uma boa gestão tributária para farmácias.

Ainda é possível recuperar tributos relativos ao ICMS da conta de luz e os tributos federais pagos a mais pelo varejo na compra de produtos cujos impostos já foram pagos pela indústria. Por exemplo, é preciso efetuar a subtração mensal dos percentuais relativos ao PIS e Cofins que constam na Tabela I do Simples Nacional, quando a revenda de mercadorias sujeitas à tributação do PIS/Pasep e da Cofins ocorrer, o que engloba tanto produtos farmacêuticos quanto os de perfumaria e higiene pessoal.

É muito comum que o dono de farmácia não “fale a língua” da contabilidade e acabe cometendo equívocos de interpretação e execução no cumprimento das obrigações fiscais na rotina da sua empresa. Agora, é papel da contabilidade falar a mesma língua que o dono da farmácia e, de maneira proativa, propor soluções para uma melhor gestão de seus impostos.

Como vimos, todos esses valores somados geram um alívio grande no bolso do dono da farmácia. E o melhor é que esse serviço de recuperação de tributos não é cobrado no caso da CF Contabilidade, que fica apenas com um percentual de tudo o que foi recuperado. Vale muito a pena!


SIMPLES NACIONAL, LUCRO PRESUMIDO OU LUCRO REAL: QUAL A MELHOR DECISÃO NA HORA DE REDUZIR IMPOSTOS?

Um erro muito comum que afeta ad farmácias é a adoção do Simples Nacional como a melhor opção para o pagamento de tributos sem ter uma análise personalizada da situação do seu negócio. Com uma consultoria especializada em gestão tributária para farmácias, é possível analisar outras possibilidades. Essa decisão tributária deve ser tomada anualmente e pode interferir de forma definitiva no lucro da sua empresa.

Por exemplo, se a sua empresa já está com uma estrutura mais organizada, o Lucro Real (Anual ou Trimestral) pode ser uma opção interessante. Nesse caso, a empresa antecipa os tributos todo mês com base no seu faturamento aplicando percentuais predeterminados.

Já no caso do Lucro Presumido, o IR (Imposto de Renda) não tem seu cálculo com base no lucro efetivo. Dessa forma, tanto o IR como a CSLL se calculam tendo em vista uma base presumida de lucro trimestralmente. Esse plano pode ser vantajoso caso o lucro efetivo da empresa seja maior do que o seu lucro presumido. Para fazer opção por esse modelo, é preciso ter um determinado faturamento.

Como vimos acima, é preciso analisar caso a caso para tomar essa importante decisão tributária anualmente e, para isso, é necessário a consultoria e preferencialmente o acompanhamento de um profissional especializado em gestão tributária para farmácias.

ANÁLISE MÊS A MÊS: COMO ISSO PODE AJUDAR NA HORA DE REDUZIR IMPOSTOS?

Cada lançamento de contabilidade gera uma consequência tributária. Essa consequência pode vir contra ou a favor da empresa. O que você escolhe?

Reduzir os impostos é imprescindível para empresas que desejam ter uma saúde financeira estável e longeva. Para isso, porém, é fundamental ter balancetes mensais atualizados que possam servir para um balanço anual que propicie tomadas de decisão baseadas em dados fidedignos.

A verdade é que a realidade tributária brasileira é complexa e varia muito a cada ano. Em virtude desse fato, a análise mês a mês feita por um profissional especializado gera dados importantes para um planejamento tributário estratégico.

Assim como é missão do Governo cobrar tributos, é direito do empresário buscar opções lícitas de economia tributária. No caso do brasileiro, é uma questão de sobrevivência empresarial, visto a quantidade de tributos e o desconhecimento de informações tributárias que é natural para um empresário que não tem formação em Ciências Contábeis.

Os balancetes mensais podem indicar, em primeiro lugar, se a decisão fiscal feita no início do ano foi correta e se será necessário mudar de decisão no final do ano. Em segundo lugar, é um indicador de saúde ou prejuízo fiscal que orientará novas escolhas dentro do negócio. Ainda, é através desses balancetes que o dono de farmácia pode ter um controle financeiro e tomar outras decisões sobre ampliar ou não seu negócio, o que interfere na contratação de novos funcionários, novos pontos de venda, mais produtos ao catálogo, etc.

Assim como uma análise mensal mal feita pode gerar prejuízos enormes, uma análise feita por um bom profissional pode reduzir impostos, aumentar lucros e ajudar a planejar a expansão ou melhoria do seu negócio. Portanto, não é uma ferramenta qualquer e deve ser implementada mesmo em farmácias de pequeno porte, tendo em vista a complexidade da realidade tributária.

COMO CONTRATAR UMA GESTÃO TRIBUTÁRIA ESPECIALIZADA EM FARMÁCIAS?

Agora que você já sabe como a redução de impostos pode gerar maximização de lucros através de uma gestão tributária especializada para farmácias, surge a dúvida: “mas onde eu encontro uma? Quanto vou pagar? Como saberei se as decisões tomadas por ela são as melhores para minha farmácia?”

De fato, só uma consultoria especializada em gestão tributária para farmácias pode indicar o que é melhor para o seu negócio. Esse é o primeiro passo para construir uma relação de confiança e muito sucesso.

Foi pensando no dono de farmácia que a CF Contabilidade abriu um núcleo especializado na área de drogarias que hoje conta com mais de 10 unidades.

A CF Contabilidade realiza todas as etapas listadas acima buscando sempre oferecer um serviço único que caiba no porte e no bolso da sua empresa.

Para saber mais do serviço de gestão tributária para farmácias, converse com um dos nossos profissionais especializados para pensar um planejamento exclusivo para a sua empresa!

Interessado em maximizar lucros e reduzir os impostos da sua farmácia? Entre em contato conosco!