26/07/2017

Minoria contra o Imposto Único

O Imposto Único sobre Movimentação Financeira é um projeto estrutural que simplifica a burocrática legislação tributária. Ele acaba com as contribuições e impostos declaratórios e mantém apenas um tributo, cobrado automaticamente sobre a movimentação nas contas bancárias. É um novo paradigma que encontra resistência de pelo menos três grupos de interesse: burocratas públicos e privados, envolvidos em esquemas de corrupção e sonegadores.

Os que se beneficiam com a sonegação reagem contra o Imposto Único porque seria o fim da concorrência desleal que eles conseguem praticar. No sistema atual, uma empresa que não consegue fugir da legislação tributária dificilmente prospera frente ao concorrente que burla o fisco. Segundo o Sindicato dos Procuradores da Fazenda Nacional, o total sonegado anualmente é da ordem de meio trilhão de reais, sendo o mais sonegado o ICMS (R$ 110 bilhões) e em seguida o INSS (R$ 103 bilhões).

O interesse de uma minoria claramente se sobrepõe aos anseios da grande maioria da sociedade brasileira na questão tributária. O país não pode continuar refém desses grupos. Enfraquecer uma reforma nos moldes do Imposto Único é tudo o que eles querem.

Fonte: O Globo