07/11/2019

CINCO DICAS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA REUNIR UM TIME DE SUCESSO

Reconhecer a importância dos processos de recrutamento e seleção para um negócio bem-sucedido não é difícil. Vamos começar com um desafio: procure rapidamente alguns cases de sucesso do mundo empresarial em uma plataforma de busca. Depois de reunir um bom número de artigos, cheque quantos deles mencionam os termos “colaboradores”, “gestores” e/ou “líderes”.

Muito provavelmente, a maioria dará grande peso a estas palavras na hora de descrever como conduziram suas empresas ao êxito. Mas o que elas têm em comum? Tratam de recursos humanos, ou seja, colaboradores em diferentes níveis. E quando pensamos em colaboradores, a maneira mais assertiva de atrair os melhores começa com uma etapa de recrutamento e seleção eficiente.

Se você quer fazer a diferença na administração do seu empreendimento através da gestão de pessoas, está no artigo certo. Separamos cinco dicas que irão te ajudar a fazer a escalação mais afiada do mundo dos negócios!

Recrutamento e seleção como forma de reduzir custos

Como gestor, você precisa saber que contratações e demissões custam caro. Por isso, processos de recrutamento e seleção realizados sem planejamento podem resultar em despesas desnecessárias ao final de um ano.

São custos com tramites admissionais, aclimatação, treinamento e, claro, remunerações mensais. Isso sem falar no desgaste que uma alta rotatividade pode causar em um setor. Afinal, para que uma equipe funcione, ela precisa de entrosamento, algo que não pode ser alcançado se a cada três meses entra ou sai alguém do time.

Na verdade, quando falamos em recrutamento e seleção, devemos visar contratar não um simples “bom colaborador”. Não alguém que somente bata metas, mas que se adeque de modo perfeito ao cargo aberto. Alguém que tenha um perfil compatível para exercer produtividade máxima.

Assim, um profissional bem recrutado/selecionado é tanto uma forma de reduzir despesas como de melhorar resultados com um maior rendimento.

Então que medidas o empreendedor e a área de RH podem tomar para garantir bons resultados nas atividades de recrutamento e seleção?

A ilustração mostra dois homens sentados em cadeiras, um de frente para o outro, como em uma entrevista de recrutamento e seleção. Um deles aponta uma caneta ao queixo e tem um caderno na outra mão. O outro leva uma das mãos também ao queixo.

Como turbinar processos de recrutamento e seleção

Saiba do que o seu negócio precisa

Cada setor de uma empresa funciona como uma máquina, com peças que trabalham juntas para atingir uma meta. Da mesma forma, as peças possuem diferentes formas e funções.

Ainda que limitada, essa é uma boa analogia para se pensar o que se deseja em um colaborador. Tenha em mente quais as atribuições e objetivos da função para a qual se deseja atrair candidatos e elabore um perfil a partir disso.

Algumas perguntas podem ajudar: Qual a formação desejada? Alguma graduação específica ou a vaga é mais generalista? Idiomas e conhecimentos em informática são necessários? É necessário ter experiência?

Com uma descrição clara do que você precisa, fica muito mais fácil filtrar currículos que sejam adequados à vaga. Logo, as chances de encontrar o colaborador ideal aumentam muito. Além disso, o tempo e os gastos com todas as etapas de recrutamento e seleção tendem a diminuir.

Sempre planeje recrutamento e seleção de candidatos

Existem muitas técnicas para selecionar candidatos: entrevistas, testes escritos, dinâmicas de grupo, provas práticas, simulações etc. Dessa forma é importante pensar qual o processo seletivo mais adequado a cada vaga.

Sempre lembrando do perfil que se procura, priorize as qualidades mais importantes na hora de um teste específico.

Se uma língua estrangeira é imprescindível, uma prova escrita ou uma entrevista naquela língua cumprem bem o papel de triagem. Já se a oportunidade é para um cargo de venda, talvez uma simulação de abordagem de cliente seja mais apropriada.

Quando a motivação e a capacidade de trabalhar em equipe são o que se procura, considere uma dinâmica de grupo.

Ferramentas muito populares, os testes de perfil comportamental também auxiliam em seleções. Esse tipo de teste avalia características do comportamento e raciocínio de um indivíduo, agrupando-os em diferentes perfis que podem ser comparados com o ideal para a vaga. Exemplos mais conhecidos são o MBTI e o DISC.

Ambos trabalham de forma semelhante, por meio de questionários. No entanto, apresentam particularidades na estrutura e aplicação. Enquanto o DISC pode ser aplicado mais rapidamente por ser mais simples (com quatro grupos de comportamento), o MBTI apresenta mais variáveis, resultando em 16 tipos de perfis diferentes.

Lembrete: recrutamento e seleção custam caro, então não desperdice recursos em testes que não tem função prática. Cada etapa deve ser objetiva em suas verificações.

Ofereça benefícios

A competitividade do mercado faz com que esteja cada vez mais difícil atrair os melhores colaboradores. Consequentemente, a oportunidade da sua empresa tem que ser, de alguma maneira, diferenciada.

Como parte do planejamento da vaga, o gestor deve, antes de tudo, oferecer condições compatíveis com o mercado. Para isso é necessário fazer uma pesquisa sobre salários e atribuições.

Quanto um contador com pós-graduação em contabilidade tributária ganha de remuneração normalmente? E quantas horas por dia um editor de vídeo e conteúdo costuma trabalhar? Seria melhor contratar por regime part-time ou integral?

A partir daí, deve se buscar competitividade a partir de benefícios. Oportunidade de crescimento, oferta de cursos e educação continuada, ambiente de trabalho amistoso, todas essas podem fazer a diferença quando o colaborador perfeito aparecer.

Dentro das possibilidades da empresa, sempre cheque o que pode ser oferecido para atrair os melhores candidatos.

Divulgue oportunidades em canais múltiplos

Quanto mais a vaga que você quer divulgar aparecer, mais candidatos aparecerão para recrutamento e seleção.

As redes sociais oferecem grandes oportunidades nesse sentido. O LinkedIn reúne todas as informações profissionais de alguém de uma única página de fácil acesso. Enquanto isso, existem grupos de Facebook com milhares de membros que não só interagem com recrutadores como também ajudam a compartilhar vagas.

Já o Instagram pode ser usado para saber mais sobre o estilo de vida de uma pessoa e até mesmo como amostra de um portfólio profissional.

Outra opção bastante utilizada são os serviços específicos de vagas. Exemplos conhecidos são o Indeed e o Vagas.com. Ambos contam com filtros que facilitam a vida de quem oferece cargos e de quem procura.

Aproveite todos os canais possíveis para divulgar uma vaga e aumente as chances de o melhor colaborador chegar até a sua empresa.

Seja criterioso

Um desdobramento da primeira dica, a chave aqui é sempre voltar aos critérios da vaga.

Analise cada currículo recebido de maneira justa e objetiva. Se possível, proponha um debate com todos os integrantes do setor que irá contratar acerca dos melhores candidatos.  Leve a questão a gestores de áreas correlatas e estabeleça pontes entre o RH, a administração, o departamento financeiro etc.

Quanto mais todos puderem contribuir, maiores as chances do colaborador se adequar à cultura organizacional.

No mais, fique atento a possíveis informações falsas no currículo. Infelizmente, essa tem sido uma prática mais comum, então olho vivo. Cruze informações, pergunte sobre referências e peça indicações.

Conheça os candidatos o melhor possível antes de bater o martelo.

Duas mãos se cumprimentam em primeiro plano como se fechassem uma contratação após fase de recrutamento e seleção. O ambiente é o de um escritório, com uma mesa, três careias e uma janela ao fundo.

Em busca do colaborador perfeito

O objetivo das etapas de recrutamento e seleção é encurtar o caminho entre uma empresa e o mercado de trabalho. Elas funcionam como um filtro e, quanto mais específicas, mais deixarão entrar somente os melhores colaboradores.

Se o seu desejo é começar uma empresa, não deixe de considerar uma boa gestão de pessoas. Outra opção pode ser o modelo de franquia, no qual se aproveitam os processos e expertise de uma marca já estabelecida, incluindo atividades ligadas à Recursos Humanos.

No fim, contratações erradas podem custar caro, portanto é melhor investir em uma escolha mais criteriosa do que se desgastar com demissões.