26/10/2021

Taxa Selic: economistas esperam aumento de 1,5 ponto na taxa de juros na próxima reunião do Copom

Especialistas creem que o Banco Central deve subir taxa para mostrar que não abandonou as metas inflacionárias para 2022

Na próxima quarta-feira, dia 27, o Comitê de Política Monetária (Copom) deverá realizar sua penúltima reunião do ano para revisar a Taxa Selic, taxa básica de juros, principal ferramenta do governo no combate à inflação.

A expectativa geral é que a taxa sofra elevação, especialmente diante de uma semana agitada no Ministério da Economia, após o pronunciamento dos novos valores do Auxílio Brasil e um possível furo no teto de gastos do Orçamento.

Um aceleramento da Selic seria justificado também para acompanhar as metas estipuladas da inflação para 2022. Em entrevista à CNN Business, o economista-chefe da Genial Investimentos, José Márcio Camargo, explicou que o balanço de riscos piorou muito em relação à inflação. “Todos os comunicados do Banco Central têm dado muito ênfase à necessidade de consolidação fiscal para manter uma balanço favorável para chegarmos à meta em 2022”, comenta o economista.

Para Camargo, que foi um dos idealizadores do teto de gastos que foi implementado em 2016, o aumento da taxa deve ser de 1,5 ponto percentual, um valor acima dos últimos aumentos, porém necessário.

O economista afirmou ainda durante a entrevista que com essa quebra no Orçamento, o governo precisará conquistar novamente a confiança e credibilidade diante dos investidores.

“Na medida em que o governo vai sinalizando para os investidores que ele continua na trajetória de consolidação fiscal, os investidores voltam a acreditar no governo. Não vai acontecer amanhã, vai acontecendo ao longo do tempo”, finaliza Camargo.

Matéria publicada originalmente em Portal Contábeis.