14/09/2021

PIX: Confira as próximas mudanças no sistema de pagamento

As funções Pix Saque e Troco serão implementadas a partir de 29 de novembro desse ano, para facilitar ainda mais os clientes

O Banco Central (BC) fará algumas alterações no Pix, o sistema de pagamento que começou a circular em novembro do ano passado.

O motivo é o aumento nos casos de sequestros relâmpagos, pois a ferramenta facilitava transações para criminosos. A ferramenta se tornou limitada ao valor de R$ 1.000 para operações feitas entre 20h e 6h, após a solicitação de instituições financeiras. Se o cliente precisa movimentar mais do que esse valor, precisa pedir uma solicitação ao Banco Central.

Se o BC tiver alguma suspeita, o Pix será bloqueado por 30 minutos durante o dia, ou até 1 hora se for a noite, e as contas suspeitas ficarão marcadas do Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT).

Um outra alteração recente determina que todas as empresas financeiras compartilhem informações de pagamentos suspeitos.

O Banco Central passou a exigir que os bancos implantem estratégias de controles para impedir golpes, com reporte para o Comitê de Auditoria e para o Conselho de Administração.

Pix Saque

O BC também anunciou as novas funções Pix Saque e Troco, que funcionarão a partir de 29 de novembro.

A primeira novidade permitirá ao usuário realizar saques em caixas eletrônicos ou estabelecimentos comerciais. Basta fazer uma transferência via Pix, fazer a leitura do QR Code e sacar o dinheiro. Os limites de valores para essa função são R$ 100 entre 20h e 6h e R$ 500 ao longo do dia.

Pix Troco

Já o Pix Troco também será em forma de saque, mas permitirá ao cliente sacar um valor no momento em que realiza uma compra. Assim, o cliente poderá pagar um produto com o Pix e receber o troco em dinheiro (cédula).

As duas funções serão opcionais, e cabe aos estabelecimentos, empresas e e bancos decidirem implementá-las.

Fonte: Contábeis