09/09/2021

Salário mínimo 2022 vai mexer com os valores do INSS

As previsões atuais projetam o salário para 2022 em R$ 1,169, R$ 22 a mais do aprovado na Lei de Diretrizes Orçamentárias

O salário mínimo terá a maior alta nos últimos seis anos, devido a alta da inflação que já está em 7%. O governo enviou no último dia 31 ao Congresso Nacional, a Lei Orçamentária que prevê salário mínimo de R$1.169, o que seria R$ 22 a mais dos R$1.147 aprovados na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Segundo a Constituição, é dever do governo manter o poder de compra do salário mínimo. Tradicionalmente, a equipe econômica usa o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano corrente para corrigir o salário mínimo do Orçamento seguinte.

Com os aumentos dos alimentos, combustíveis e energia, a previsão para o INPC em 2021 que estava em 4,3% saltou para 6,2%. Se a inflação superar os índices previstos até o final do ano, o salário poderá ficar ainda maior.

Impacto do reajuste nos benefícios do INSS

Toda vez que o salário mínimo é corrigido, mexe com os valores do INSS. Benefícios como aposentadoria, auxílios e pensões pagas pelo Instituto também são reajustados.

Nenhum benefício oferecido pelo governo, seja ele previdenciário ou assistencial, pode ter um valor menor que o salário mínimo. Sendo confirmado o valor de R$1.169 para o ano que vem, os benefícios do INSS passarão a ter esse valor.
O teto pago pelo órgão também passará por alteração, passando dos R$6.433,57 para R$6.843,07. Confira os valores dos benefícios com o reajuste do salário mínimo:

 

Valor da aposentadoria este ano Valor da aposentadoria em 2022, mediante ao reajuste do piso nacional
R$ 1.100 R$ 1.169
R$ 1.200 R$ 1.274,40
R$ 1.300 R$ 1.380,60
R$ 1.400 R$ 1.486,80
R$ 1.500 R$ 1.593,00
R$ 1.600 R$ 1.699,20
R$ 1.700 R$ 1.805,40
R$ 1.800 R$ 1.911,60
R$ 1.900 R$ 2.017,80
R$ 2.000 R$ 2.124,00
R$ 2.100 R$ 2.230,20
R$ 2.200 R$ 2.336,40
R$ 2.300 R$ 2.442,60
R$ 2.400 R$ 2.548,80
R$ 2.500 R$ 2.655,00
R$ 2.600 R$ 2.761,20
R$ 2.700 R$ 2.867,40
R$ 2.800 R$ 2.973,60
R$ 2.900 R$ 3.079,80
R$ 3.000 R$ 3.186,00
R$ 3.100 R$ 3.292,20
R$ 3.200 R$ 3.398,40
R$ 3.300 R$ 3.504,60
R$ 3.400 R$ 3.610,80
R$ 3.500 R$ 3.717,00
R$ 3.600 R$ 3.823,20
R$ 3.700 R$ 3.929,40
R$ 3.800 R$ 4.035,60
R$ 3.900 R$ 4.141,80
R$ 4.000 R$ 4.248,00
R$ 4.100 R$ 4.354,20
R$ 4.200 R$ 4.460,40
R$ 4.300 R$ 4.566,60
R$ 4.400 R$ 4.672,80
R$ 4.500 R$ 4.779,00
R$ 4.600 R$ 4.885,20
R$ 4.700 R$ 4.991,40
R$ 4.800 R$ 5.097,60
R$ 4.900 R$ 5.203,80
R$ 5.000 R$ 5.310,00
R$ 5.100 R$ 5.416,20
R$ 5.200 R$ 5.522,40
R$ 5.300 R$ 5.628,60
R$ 5.400 R$ 5.734,80
R$ 5.500 R$ 5.841,00
R$ 5.600 R$ 5.947,20
R$ 5.700 R$ 6.053,40
R$ 5.800 R$ 6.159,60
R$ 5.900 R$ 6.265,80
R$ 6.000 R$ 6.372,00
R$ 6.100 R$ 6.478,20
R$ 6.200 R$ 6.584,40
R$ 6.300 R$ 6.690,60
R$ 6.400 R$ 6.796,80
R$ 6.443,57 R$ 6.843,07

Outros benefícios impactados

Veja outros benefícios terão seus valores reajustados:

  • Auxílio-doença;
  • Salário-maternidade;
  • Auxílio-reclusão;
  • Pensão por morte;
  • Benefício de Prestação Continuada (BPC/LOAS);
  • Benefícios de natureza trabalhista (seguro-desemprego, abono PIS/Pasep).

 

Matéria originalmente publicada em Jornal Contábil, por Jorge Roberto Wrigt.