fbpx

Siga nossas redes

Ser contador autônomo vale a pena?

Contador autônomo trabalhando no seu notebook

Ser contador autônomo vale a pena? Essa é uma pergunta que muitos profissionais da contabilidade se fazem ao longo de suas carreiras. 

Afinal, em um mercado cada vez mais competitivo e com tantas possibilidades, o trabalho independente costuma ser bastante sedutor e recompensador.

Mas antes de decidir se vale a pena ou não ser um contador autônomo, é preciso conhecer as vantagens e desvantagens dessa escolha.

Mais do que isso, é necessário entender quais as armadilhas que, certamente, vão se apresentar no caminho, para que você possa se preparar.

Vamos abordar tudo isso a seguir e, no final, vou te dar uma dica adicional que vai mudar o seu jogo ao iniciar o trabalho por conta própria.

As vantagens de ser um contador autônomo

As principais vantagens de se tornar um contador autônomo são:

Renda elástica

Quando você está contratado no regime CLT, sua renda será sempre a mesma e logo alcançará um teto do qual não consegue mais ultrapassar.

Se você tem a ambição de aumentar os seus ganhos mensais e obter mais reconhecimento, o trabalho como contador autônomo possibilita exatamente isso.

Com uma pequena carteira de clientes, já é possível ganhar mais do que na CLT.

Aos poucos, você pode também ir adicionando serviços ao seu trabalho como consultoria financeira, recuperação de crédito tributário e outras especialidades.

Isso permite conquistar uma renda elástica e crescente, desde que se tenha organização, disciplina e a capacidade de atrair novos clientes contábeis todos os meses.  

Você se torna seu próprio chefe

Ser contador autônomo significa ter domínio sobre sua agenda e, com isso, poder se programar para pegar seus filhos na escola, fazer exercícios em horários alternativos e se sentir livre para tocar sua vida da maneira como deseja.

Isso, claro, requer também um alto nível de responsabilidade e tem as suas desvantagens, conforme veremos mais adiante.

Liberdade de escolher seus próprios clientes

Sabe aqueles clientes que você não suporta lidar no dia a dia, mas é obrigado pelo seu chefe a lidar com situações desagradáveis?

Isso só acontece na vida de contador autônomo se você deixar. 

Afinal, é possível escolher com qual tipo de cliente deseja se relacionar e “demitir” aqueles que não estão de acordo com os seus valores.

Economia com CRC

Quando você abre um CNPJ para criar um escritório contábil, terá de arcar com os custos de um novo CRC.

Ou seja, além de pagar pelo seu CRC de pessoa física, precisará também ter um de pessoa jurídica.

E as desvantagens de ser um contador autônomo?

E as principais desvantagens de trabalhar por conta própria como contador são:

Excesso de tributação

Se você não quer ter a obrigação de abrir seu próprio CNPJ, terá de emitir o famoso RPA (Recibo de Pagamento Autônomo).

Com isso, a tributação pode chegar a 27,5% sobre a prestação dos seus serviços, o que é absolutamente inviável.

Já ao abrir seu CNPJ e montar um escritório de contabilidade, começará com uma tributação muito menor, em torno de 5%. 

O máximo que esses impostos vão chegar no Simples Nacional é por volta de 14%, quando você já estiver aí com um faturamento em torno de R$ 300 mil por mês.

Síndrome de Peter Pan

Ao se apresentar aos seus clientes como autônomo, dificilmente conseguirá atrair empresas bem estruturadas e dispostas a pagar honorários maiores.

Afinal, os empresários desejam sentir que estão em boas mãos. 

E quando você se mostra como uma empresa contábil (mesmo trabalhando sozinho no início), passa a gerar essa maior percepção de valor, o que se reflete na conquista de clientes maiores e com um relacionamento mais profissional.

Do contrário, sofrerá da Síndrome de Peter Pan, como uma empresa que se recusa a amadurecer e, com isso, atrai negócios com essa mesma visão pequena e limitante.

Insegurança financeira

Da mesma forma que o autônomo costuma ganhar mais do que o contador CLT, ele também está mais vulnerável às mudanças na economia.

Se você perde dois clientes no mês e sofre com alguma inadimplência, isso se refletirá diretamente nos seus ganhos.

Esse sobe e desce financeiro é muito comum, sobretudo no início de qualquer negócio contábil.

Por isso, é preciso se preparar desde o início para estruturar um escritório contábil e, aos poucos, conseguir crescer da forma mais enxuta e segura possível.

Trabalho acima da média

Com a liberdade de tempo, virá também a maior necessidade de dedicação para atender bem os seus clientes e fazer esse novo momento dar certo.

Ou seja, você vai ter que se equilibrar sozinho entre várias funções operacionais e, ainda assim, arrumar tempo para trazer novos clientes.

Em alguns momentos, terá que trabalhar 10h, 12h ou até 14h no dia para dar conta de tudo sozinho.

É o preço que se paga por querer trabalhar conforme suas próprias regras e obter ganhos acima da média.

Daí a importância de não se contentar em ser autônomo, mas já pensar como empreendedor e se planejar para voos maiores.

Solidão 

Trabalhar sozinho pode ser muito frustrante e limitar o seu crescimento, pela falta de pessoas com quem trocar ideias e buscar melhorias contínuas para os seus clientes.

Por isso, é importante buscar maneiras de estar sempre se relacionando com outros contadores, seja em eventos setoriais ou em fóruns na internet.

Demora para crescer

Se o contador autônomo se contenta com essa posição, significa que vai demorar para crescer, pois não terá o apoio de áreas importantes como Marketing, Comercial, TI, Sucesso do Cliente e outras.

Sem um mapeamento de processos claro e uma equipe para auxiliar no operacional, não conseguirá ter mais do que 10 clientes e baterá o teto de faturamento muito rápido.

Isso, no longo prazo, significa se tornar escravo do próprio negócio e virar mais um contador “reclamão” que não consegue aproveitar as oportunidades da nossa profissão.

Quais as principais armadilhas para o contador autônomo?

Existem inúmeras armadilhas que o contador autônomo pode cair, como:

Não se organizar

Não existe nada mais perigoso para um contador autônomo do que a desorganização, seja de tempo ou operacional.

Se você não tomar cuidado e não tiver disciplina, é questão de tempo para seus horários e processos se tornarem uma bagunça, deixando seus clientes vulneráveis a multas e outros problemas mais sérios.

Não definir um plano de negócios claro

Você quer ser autônomo para sempre ou profissionalizar o seu negócio?

É muito comum se estagnar no início e não conseguir mais crescer pela falta de uma visão clara de onde se pretende chegar e de um plano de ação para conquistar seus objetivos.

Não reinvestir em marketing

A armadilha mais perigosa é crescer o seu padrão de vida com base nos honorários e não deixar espaço para reinvestir no crescimento do seu negócio.

O marketing é a sua principal área, pois é a melhor maneira de atrair clientes e manter o seu negócio sempre oxigenado.

Isso vai exigir investimento em treinamentos de marketing digital, anúncios e na contratação de uma agência ou de um social media para te ajudar.

Não cobrar o preço certo pelos seus serviços

É tentador querer cobrar um valor abaixo da média do mercado para formar a sua carteira de clientes.

Afinal, você quase não tem custo fixo no início e, com isso, obterá uma boa margem de lucro mesmo cobrando pouco.

O que você não conta é que isso se tornará insustentável na medida em que o negócio crescer e precisar de investimentos em equipamentos e equipe.

Então aprenda a precificar seus serviços contábeis corretamente desde o início, preparando-se para um crescimento saudável. 

Não diversificar sua base de clientes

Você não deve se contentar com alguns poucos clientes, pois se algum deles sai ou se torna inadimplente, abrirá um rombo enorme no seu faturamento.

E, com isso, você tende a se desesperar e topar qualquer coisa para cobrir essa perda, contaminando sua carteira com clientes ruins.

Como começar grande o seu negócio contábil sem precisar investir em estrutura

Se você está querendo trabalhar por conta própria e com um modelo de crescimento seguro e escalável, avalie o modelo de franquia de contabilidade.

O modelo de franquia da CF Contabilidade, por exemplo, é bastante flexível e se adapta às suas necessidades do momento, além de te preparar para ser grande.

Veja algumas das vantagens:

  • Apresente-se aos seus clientes como uma rede de mais de 200 unidades espalhadas pelo país;
  • Tenha suporte de uma Contabilidade ISO 9001 para atender os clientes que você não desejar ou não se sentir seguro no início;
  • Utilize os melhores softwares contábeis e escolha o que mais se adapta a você, sem pagar nada a mais por isso;
  • Participe de treinamentos para aceleração de vendas e gestão do seu escritório contábil;
  • Tenha uma atuação 100% digital, sem o uso de papéis na relação com seus clientes;
  • Receba suporte em até 1 minuto para as suas dúvidas e de seus clientes;
  • Atue em home office, sem gastos desnecessários;
  • Mantenha-se atualizado e em constante evolução ao lado de outros empresários contábeis que se ajudam;
  • Conte com um suporte de Marketing, TI, Sucesso de Cliente e outras áreas da franqueadora para o seu negócio;
  • Participe gratuitamente ou com condições especiais dos maiores eventos contábeis do país.

Quer saber mais como funciona a nossa franquia de contabilidade? Preencha o formulário abaixo e o nosso time de especialistas vai tirar todas as suas dúvidas:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *