fbpx

Siga nossas redes

Contabilidade para dentistas: 5 estratégias para aumentar seu lucro

Contadora calcula impostos em contabilidade para dentistas

Sabe qual o maior erro ao se contratar uma contabilidade para dentistas?

É olhar para a contabilidade apenas como uma cumpridora de obrigações governamentais, e não como uma parceira com ferramentas capazes de contribuir de forma significativa para o crescimento do negócio.

Por isso, seja você um dentista em início de carreira ou dono de uma clínica grande, é fundamental buscar um serviço especializado para auxiliar nas estratégias que darão segurança e velocidade à sua expansão.

Para ficar mais claro o poder da contabilidade especializada para dentistas, compartilho a seguir 5 estratégias para aumentar a lucratividade da sua clínica.

Planejamento para redução de impostos

Qualquer trabalho contábil tem início com uma análise completa do melhor regime tributário para cada perfil específico.

Para os dentistas, na grande maioria dos casos, o mais vantajoso é o enquadramento no Simples Nacional pelo Anexo III, com alíquota inicial de 6% sobre o valor da nota fiscal.

Porém, é comum encontrar casos de dentistas que atuam como Sociedade Empresarial Ltda., pagando impostos pelo Anexo 5, com alíquota inicial de 15,5% e podendo chegar a 19,25%.

Muitas vezes se consegue resolver isso simplesmente dividindo a operação em Sociedades Uniempresariais e atribuindo despesas de pelo menos 28% com folha de pagamento.

Com essa simples mudança, é possível chegar neste cenário ideal de tributação pelo Anexo III, para dentistas que faturam até R$ 3,6 milhões ao ano.

Já no caso de clínicas maiores, tributadas pelo Lucro Presumido, quase sempre existe a possibilidade de recuperar impostos pagos a mais nos últimos 5 anos, inclusive sobre eventuais glosas médicas.

Por tudo isso, essa simples análise inicial pode ser crucial para pagar o mínimo de impostos possível ou ao menos oxigenar seu fluxo de caixa ao recuperar parte dos impostos pagos indevidamente ao fisco.

Afinal,é melhor ser dentista como pessoa física ou jurídica?

A dúvida entre atuar como pessoa física ou jurídica é a mais comum entre os profissionais da saúde que atendemos na CF Contabilidade.

Se você ainda está atendendo os primeiros pacientes, com ganhos mensais abaixo dos R$ 2.826,00, a atuação como pessoa física pode ser mais vantajosa, principalmente se tiver como comprovar despesas dedutíveis.

Neste caso, é preciso emitir o Carnê-Leão no atendimento a pessoas físicas ou o RPA no caso de ser contratado por uma pessoa jurídica.

Isso porque você cairia na alíquota de 7,5% do Imposto de Renda da Pessoa Física. Passando desse valor mensal, já existe uma progressão significativa de impostos conforme a Tabela do IRPF.

Já quando você se torna Pessoa Jurídica, a alíquota dos impostos se inicia em 6% sobre o faturamento total.

Além disso, ao declarar seu Imposto de Renda da Pessoa Física, o recolhimento não será calculado pelos seus ganhos totais, e sim pelo seu pro-labore.

Ou seja, se você faturou uma média de R$ 10.000,00 no mês e retirou R$ 2.000,00 de pro-labore (salário do dono da empresa), os impostos da pessoa física serão cobrados considerando esses R$ 2.000,00.

Para crescer de forma segura e pagando menos impostos, de uma forma geral, será necessário abrir sua empresa, de preferência com uma contabilidade especializada em dentistas.

2) Separação de contas da pessoa física e jurídica

Sabe quando o dinheiro que sobra na sua conta parece incompatível com a jornada extenuante de trabalho que você teve no mês?

Isso é um dos grandes sintomas de má gestão financeira, cuja causa mais grave é a não separação das contas da pessoa física da jurídica.

Assim, fica dícil de o dentista saber a sua lucratividade exata e até mesmo a entender se a sua precificação está compensando no final das contas.

Esse descuido pode se transformar numa bola de neve ainda maior, se a Receita Federal entender que as retiradas feitas como Pessoa Jurídica são da sua Pessoa Física.

Ou seja, na hora de declarar o Imposto de Renda da Pessoa Física, você pode ser tributado pelas alíquotas mais altas, pelo simples fato de não separar as suas contas.

Uma boa contabilidade para dentistas, por sua vez, já lhe ajudará a resolver isso logo de cara, definindo um pro-labore que o permita pagar as alíquotas mínimas tanto na PJ quanto na PF, dentre outras estratégias.

3) Controle eficiente de custos

Outro papel importante da contabilidade é, justamente, oferecer uma visão clara dos custos operacionais, além de definir estratégias para a redução contínua desses valores.

Dentre esses custos estão, por exemplo:

  • Aluguel;
  • Insumos odontológicos;
  • Folha de pagamento;
  • Materiais de escritório;
  • Contas de água, luz, telefone e internet;
  • Equipamentos odontológicos e de escritório;
  • Etc.

Dentre as estratégias de controle desses custos, é possível, por exemplo, criar sistemas de inventário para acompanhar o consumo de materiais odontológicos, evitando desperdícios e garantindo uma compra adequada de acordo com a demanda do consultório. 

Além disso, esse controle permite identificar áreas de maior rentabilidade e tomar decisões estratégicas para reduzir gastos desnecessários.

4) Controle de entrada e saída de dinheiro

A contabilidade para dentistas pode te ajudar também em toda gestão de receitas e despesas do consultório.

Com essa visão clara do negócio, é possível entender, por exemplo, quais são os serviços de maior rentabilidade.

Da mesma forma, fica mais fácil compreender quais insumos estão gerando despesas que poderiam ser reduzidas ou até mesmo evitadas.

Assim, o gestor da clínica é capaz de criar um fluxo de caixa, fazer projeções e tomar decisões com base em dados, e não em achismos.

Imagine, por exemplo, que ao analisar as despesas e receitas, você identifique que está havendo uma procura maior por implantes odontológicos, com uma boa rentabilidade para a clínica.

Esse dado pode ser importante para tomadas de decisão relacionadas a futuras ações de marketing e até mesmo de posicionamento do consultório na região.

5) Constituição de uma Holding Patrimonial

Esse é um recurso que costumamos indicar para profissionais que já constituíram um bom patrimônio na pessoa física ou desejam realizar um processo de sucessão familiar sem grandes percalços.

Afinal, a constituição de uma holding patrimonial/familiar é fundamental para proteger os bens da pessoa física, independentemente dos desafios com a pessoa jurídica.

Além disso, a criação da holding permite definir regras claras que permitam fazer a sua vontade numa eventual divisão de bens entre familiares no futuro.

Outro benefício, dependendo do perfil da clínica, é a redução significativa dos impostos, por meio de estratégias tributárias para esse modelo de negócio.

Os diferenciais da CF na contabilidade para dentistas

Conheça alguns dos diferenciais da CF Contabilidade para os serviços de contabilidade para dentistas e profissionais da saúde:

  • Somos a maior rede de escritórios contábeis do Brasil, com mais de 300 unidades em todos os Estados (temos especialistas próximos de você);
  • Nossos processos são certificados pela ISO 9001 (garantia de qualidade e redução de erros);
  • Oferecemos o que há de melhor em tecnologia na contabilidade (agilidade e segurança na troca de informações);
  • Atuação presencial de um contador especialista próximo de você (resposta ágil e resolutiva para as dúvidas do dia a dia);
  • Temos mais de 30 anos de atuação no nosso segmento (sinônimo de confiança e respeito aos nossos clientes).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *